Rússia atingiu cidades ucranianas com ataques aéreos durante a noite

KYIV, 20 Jun (Reuters) – A Rússia lançou um ataque aéreo generalizado durante a noite na Ucrânia nesta terça-feira, visando instalações militares e de infraestrutura em Kiev e outras cidades, disseram autoridades nesta terça-feira.

A Ucrânia diz que abateu 32 dos 35 drones Shahed iranianos lançados da região russa de Bryansk e do Mar de Azov.

Nenhuma vítima foi relatada nos recentes ataques aéreos de Moscou desde que Kiev lançou uma contra-ofensiva que afirma ter recapturado 113 quilômetros quadrados (44 milhas quadradas) de território das forças russas.

As defesas aéreas estão ativas na maior parte da Ucrânia, disse a força aérea no aplicativo de mensagens Telegram.

“No entanto, a direção principal dos ataques de drones iranianos foi a região de Kiev. Duas dúzias de Shaheds foram destruídas aqui”, disse o grupo no aplicativo de mensagens Telegram.

Serhii Babko, chefe da administração militar de Kiev, disse que o alerta aéreo na capital durou mais de três horas. Ele não deu detalhes sobre os danos.

Uma instalação de infraestrutura crítica não especificada foi afetada na cidade de Lviv, a 70 km (43 milhas) da fronteira com a Polônia, membro da Otan, e algumas rotas de bonde foram desviadas durante o horário de pico da manhã, disseram autoridades.

“Eles atingiram uma instalação importante. Houve três ataques”, disse o governador regional Maksym Kozytskiy.

A Rússia também atingiu a cidade industrial de Zaporizhzhya, no sudeste do país, com mísseis Iskander e S-300, disse a força aérea.

READ  Um terremoto de magnitude 4,1 atingiu o norte da Califórnia

Yury Malashko, chefe da administração militar da região de Zaporozhye, disse que a Rússia tinha como alvo a infraestrutura de telecomunicações e ativos agrícolas e agrícolas.

De acordo com relatórios iniciais, a Rússia disparou sete mísseis contra Zaporizhia, disseram os militares ucranianos.

A Reuters não pôde verificar os relatórios de forma independente. Não houve comentários imediatos da Rússia.

Reportagem de Olena Harmash em Kiev e Lydia Kelly em Melbourne; Edição por Timothy Heritage

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *