Níger: CEDEAO pede ‘restauração da ordem constitucional’ no Níger

Mohammad Hamido/Reuters

Homens seguram bandeiras do Níger e da Rússia enquanto se reúnem com milhares de manifestantes anti-embargo em apoio à junta militar em Niamey, Níger, em 3 de agosto de 2023.



CNN

Os líderes da África Ocidental intensificaram na quinta-feira as negociações contra os líderes golpistas do Níger e ordenaram uma força regional de prontidão para “ativar” e “tarefar” para restaurar a ordem constitucional no país deposto.

Líderes da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) pediram uma implantação para “restaurar a ordem constitucional na República do Níger” depois que um ultimato de uma semana que emitiram à junta militar do Níger terminou em Abuja, na Nigéria. Segundo um comunicado lido por Omar Alieu Touray, Presidente da Comissão da CEDEAO.

Não ficou imediatamente claro qual seria o “desdobramento” e a “ativação” da força. A declaração enfatizou “a determinação de manter todas as opções sobre a mesa para uma resolução pacífica da crise”.

O Níger mergulhou no caos político desde o final do mês passado, quando o presidente Mohamed Bassoum foi deposto por um golpe da guarda presidencial. A CEDEAO respondeu dias depois decretando sanções econômicas e emitindo um ultimato à junta militar no poder: renuncie dentro de uma semana ou enfrentará uma possível intervenção militar.

Esse prazo expirou no domingo, 6 de agosto, sem mudança na situação política. Os líderes da CEDEAO disseram que sua preferência é encontrar uma solução diplomática para a crise e enviar tropas como último recurso.

O bloco regional vai “apoiar todas as medidas e princípios acordados na cimeira extraordinária realizada no Níger a 30 de julho de 2023”, que decidiu por fortes sanções contra a junta militar no Níger.

READ  Soldados israelenses mataram reféns carregando bandeiras brancas, confundindo-os com combatentes do Hamas

Touré também alertou para as consequências da “ação dos Estados membros, direta ou indiretamente, dificultando a resolução pacífica da crise”.

Mali e Burkina Faso, liderados por soldados que tomaram o poder, expressaram solidariedade à junta militar do Níger e alertaram que qualquer intervenção militar seria vista como uma declaração de guerra. A Guiné também disse que apoia o Níger.

As forças armadas do Níger parecem estar se preparando para uma possível intervenção militar esta semana Uma fonte militar disse à CNN. Na noite de domingo, um comboio de cerca de 40 caminhonetes com tropas de outras partes do país chegou à capital.

Vários analistas disseram à CNN que uma intervenção militar no Níger não seria iminente, pois levaria tempo para as tropas da CEDEAO se reunirem.

A declaração “é sobre mobilizar os recursos necessários caso seja necessária uma intervenção, mas também é um sinal para a junta militar no Níger de que está preparada para tomar as medidas necessárias, incluindo a força”, disse Murtala Abdullahi, oficial de segurança e analista de defesa. CNN.

A federação não deu prazo, e o atual presidente, o presidente nigeriano Bola Tinubu, disse que o uso da força seria o último recurso. No entanto, a mensagem pode ser recebida com mais urgência no Níger, disse o analista de segurança Abdurahmane Algassoum à CNN, apontando que os militares nigerianos estão ganhando apoio doméstico enquanto a CEDEAO continua a falar duro.

Outro especialista disse que em 2017 demorou 7 semanas para a Gâmbia implantar a CEDEAO – uma tarefa menos complexa do que para o Níger.

“A missão para a Gâmbia é muito direta”, diz Cameron Hudson, membro sênior do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais. “O Níger não é apenas uma intervenção, trata-se de manter como refém um presidente que está em prisão domiciliar e está sendo usado como escudo humano pela junta militar.

READ  Alerta de qualidade do ar emitido para poluição em Chicago

“O Níger tem um exército significativo treinado pelos EUA, testado em batalha por anos de contra-insurgência”, acrescentou.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *