Dezenas de milhares de pessoas manifestaram-se em Hamburgo contra a extrema-direita alemã

Dezenas de milhares de pessoas reuniram-se em Hamburgo na sexta-feira para protestar contra a extrema direita, e os organizadores disseram que o protesto terminou prematuramente depois que a multidão cedeu a preocupações de segurança.

BERLIM (Reuters) – Dezenas de milhares de pessoas se reuniram em Hamburgo nesta sexta-feira para uma manifestação contra a extrema direita, e os organizadores disseram que o protesto terminou mais cedo por questões de segurança.

O evento na segunda maior cidade da Alemanha pareceu ser o maior de uma série crescente de protestos na semana passada. Seguem-se relatos de que militantes se reuniram recentemente para discutir a deportação de milhões de migrantes, incluindo alguns com cidadania alemã.

O meio de comunicação Corrective informou na semana passada sobre uma suposta reunião de extrema direita em novembro, que disse ter participado de figuras do extremista Movimento de Identidade e da extrema direita Alternativa para a Alemanha, ou AfD. Um membro proeminente do movimento identitário, o cidadão austríaco Martin Zellner, apresentou a sua visão “imigratória” da deportação.

Algumas manifestações em cidades da Alemanha, incluindo uma manifestação em Colónia na terça-feira, já atraíram mais participantes do que o esperado.

Em Hamburgo, cerca de 50 mil pessoas reuniram-se num passeio à beira do lago na tarde de sexta-feira, enquanto os organizadores estimaram o número em 80 mil, sendo que muitas não conseguiram entrar no local, informou a agência de notícias alemã DPA.

Um dos organizadores, Qasim Abasi, do grupo Unternehmer ohne Grenzen (Empresários sem Fronteiras), disse que os bombeiros não conseguiram passar pela multidão, alegando razões de segurança.

READ  Como Ariana Maddix descobriu que Tom Sandoval a estava traindo com Rachel Lewis

“A mensagem para a AfD e as suas redes de direita é: somos a maioria, somos fortes porque estamos unidos e estamos determinados a não permitir que o nosso país e a nossa democracia sejam destruídos pela segunda vez desde 1945”. a derrota da Alemanha nazista, disse o prefeito de Hamburgo, Peter Tzentscher, à multidão.

A AfD procurou distanciar-se da reunião extremista, dizendo que não tinha vínculos organizacionais ou financeiros com o evento e não era responsável pelo que foi discutido lá, dizendo que os membros que compareceram o fizeram a título puramente pessoal. No entanto, um dos co-líderes da AfD separou-se de um conselheiro local, ao mesmo tempo que negou a informação.

As sondagens de opinião nacionais mostram actualmente que a AfD está em segundo lugar, atrás da principal coligação de oposição de centro-direita e à frente dos partidos do governo impopular.

Mais manifestações contra a extrema direita estão planeadas em cidades alemãs durante o fim de semana.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *