Andy Rourke, baixista do The Smiths, morreu de câncer aos 59 anos

Andy Rourke, baixista das lendas do rock alternativo britânico The Smiths, morreu aos 59 anos, disseram seus representantes e ex-companheiros de banda na sexta-feira.

“É com profunda tristeza que anunciamos a morte de Andy Rourke após uma longa doença com câncer pancreático”, escreveu. Perceber Ele disse em suas páginas de mídia social. “Andy será lembrado como uma alma gentil e bonita por aqueles que o conheceram e como um músico muito talentoso pelos fãs de música. Pedimos privacidade durante este momento triste.

Em uma homenagem, o guitarrista do Smiths, Johnny Marr, disse que os dois se conheceram na escola em 1975. “Éramos melhores amigos e íamos a todos os lugares juntos”, disse Marr escreveu no Instagram. Antes de os Smiths serem aclamados, eles tocaram juntos em bandas em South Manchester quando eram adolescentes, e “foi naqueles discos dos Smiths que Andy redescobriu ser um baixista”, ele conta.

Vindo de Manchester, Inglaterra, Rourke ajudou a desenvolver um som como parte de uma das bandas inglesas mais populares da década de 1980, The Smiths, que produziu sucessos como “Há uma luz que nunca se apaga” e “How Soon It’s Too Soon”. Agora? “.

Na época, o The Washington Post a descreveu como uma das melhores bandas inglesas da década.

Depois que a banda se separou em 1987, Rourke tocou e gravou com artistas como Pretenders e Badly Drawn Boy. Em sua carreira de décadas, ele também foi criado Freebass é um supergrupo formado por baixistas do Stone Roses e Joy Division.

“Sempre ganhei um instrumento no Natal ou no meu aniversário, então usei trompetes de plástico, saxofone, teclado”, disse Rourke. Em uma entrevista de 2016. “Toquei um pouco de violoncelo depois, mas fiz porque era necessário em um disco dos Smiths, então comprei um, afinei como um baixo e fui a partir daí.”

READ  Shohei Ohtani passou por uma cirurgia no cotovelo e espera rebater em 24 e lançar em 25.

Fãs e outros músicos prestaram homenagem a ele na manhã de sexta-feira.

Baixista da suíte Matt Osman disse Rourke será lembrado como “uma virada total – um baixista raro cujo som você pode reconhecer instantaneamente”.

Rourke tocou pela última vez no palco com Marr e sua banda no Madison Square Garden no ano passado, disse o guitarrista, acrescentando que era uma questão de “orgulho e tristeza pessoal”. “Um momento especial compartilhado com minha família e sua esposa e alma gêmea, Francesca”, acrescentou Marr.

Outro ex-colega de banda, o baterista do The Smiths, Mike Joyce, descrito Rourke é “o cara mais doce e engraçado que já conheci”

“Andy deixou o prédio, mas seu legado musical continua vivo”, escreveu ele.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *